TÍTULO DO PROJETO: Salvando vidas em vida.

INSTITUIÇÕES PARCEIRAS: Associação de Amigos do Transplante de Medula Óssea – ATMO e Hemocentros.

PÚBLICO : População acadêmica da Universidade Local, agentes comunitários, ACSs e Instituições com público interno superior a cinquenta pessoas com características de multiplicadores.

DESCRIÇÃO DA AÇÃO: Realizar trimestralmente uma campanha de sensibilização , em cidades com características étnicas diferenciadas a fim de ampliar qualitativamente o cadastro de possíveis doadores de Medula Óssea no REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea) no Estado de Pernambuco como também fortalecer o papel da população em projetos que incentivem a solidariedade e a cidadania.

______________________________________________________________________________

  • APRESENTAÇÃO

Nas últimas décadas, o Brasil vem vivendo um acelerado processo de urbanização decorrente, principalmente, do desenvolvimento industrial. Juntamente, aumentaram os riscos ecológicos globais e a degradação ambiental com impactos nos ecossistemas planetários e na saúde da população, ameaçando a vida das futuras gerações (PORTO, 1998). Tais fatores poderão resultar em um grande aumento da prevalência de doenças e agravos não transmissíveis (DANT), entre as quais se destacam as doenças do aparelho circulatório, os cânceres, os traumas e o Diabetes Mellitus (BRASIL, 2005)

A estimativa de casos novos de câncer para o Brasil em 2010 é de 489.270 (INCA).

Os últimos dados publicados pelo INCA (Instituto do Câncer) órgão ligado ao Ministério da Saúde, apresentam como primeira causa de morbidade e mortalidade o grupo de jovens de 05 a 18 anos, dentre os tipos de câncer, as leucemias e linformas .

A miscigenação existente no Brasil e, em especial em Pernambuco, na região nordeste , por sua constituição étnica e a baixa representatividade de inscritos no REDOME/PE, perfazendo X do total nacional, são fatores que reduzem a probabilidade de encontrar um doador compatível para pacientes  pernambucos.  Essa possibilidade  varia de 1:100.000 podendo chegar a 1 em um milhão (banco internacional).

No ano de 2007, a Central de Transplantes de Pernambuco (CT/PE) captou 7.551 novos doadores. A partir de abril de 2008, uma parceria realizada entre a CT/PE e a  Associação de Amigos do Transplante de Medula Óssea (ATMO), possibilitou uma intensificação nas campanhas de captação de novos doadores de medula óssea, observando-se um aumento considerável do número de doadores voluntários.  No exercício de 2008, foram realizadas, campanhas estaduais abrangendo nove municípios do interior, dois municípios  da região metropolitana e capital, totalizando 20.098 novos doadores. No ano de 2009 contabilizou-se  a mais 2.470 inscrições totalizando 22.568 novos doadores no REDOME /PE.   

Apesar desse aumento considerável, esses números ainda não são suficientes para que o estado de Pernambuco contribua com a   auto-suficiência no número de doadores voluntários. Este é um problema que tem que ser enfrentado, uma vez que o número reduzido de doadores voluntários da região de origem, diminui a chance dos pacientes que necessitam de uma medula entre os não aparentados de encontrarem o doador compatível e assim, de continuarem vivendo.

  1. CONTEXTUALIZAÇÃO DA COMUNIDADE /DIAGNÓSTICO DA ÁREA

A necessidade de aumento na captação de possíveis doadores de medula óssea é uma questão de saúde pública.    Em nosso Estado vem sendo, efetivamente, vivenciada a dificuldade de se encontrar um doador voluntário de medula óssea pelo REDOME/PE.  Acredita-se que ações de sensibilização mediante campanhas informativas, junto às instituições que reúnem um grande número de pessoas jovens em alta aglomeração  como é o público das Universidades, Faculdades,  Escolas Técnicas, agentes de saúde e comunitários possibilitariam uma maior adesão na doação de Medula Óssea de forma mais consciente, ampliando o número de inscritos no Banco qualitativamente, bem como, estimularia a participação de outros cidadãos  em ações voluntárias como agentes ativos nesse processo de sensibilização e informação.

Considerando que as ações da ATMO são sustentadas por doações e trabalho voluntário, é necessário a busca por parcerias em instituições que reúnam um grande número de pessoas a fim de colaborar com as atividades durante a realização das campanhas de captação.

  1. OBJETIVOS:

3.1 Objetivo Geral:

Ampliar o número de possíveis doadores voluntários no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea no Estado de Pernambuco / REDOME.

3.2 Objetivos Específicos:

    1. Realizar campanhas trimestrais de sensibilização em municípios com população de características étnicas diferentes;
    2. Informar ao público, mediante atividades lúdicas e com linguagem apropriada, sobre os mitos e medos a respeito dos procedimentos da doação, esclarecendo todas as dúvidas existentes para que a doação seja um ato consciente de maneira que não haja desistência  no ato da doação;
    3. Realizar captação de doadores voluntários nesses municípios de forma sistemáticas;

  • Primar por um cadastro de qualidade para facilitar a localização de possíveis doadores.

  1. METODOLOGIA / ESTRATÉGIA DE AÇÃO

4.1 População de destinação do Projeto:

4.2 Local de realização do projeto: a realização das atividades previstas no projeto serão nos municípios com características étnicas diferenciadas.

4.3 Estratégia de Ação:

O Projeto será desenvolvido em três etapas:

1º) Desenvolvendo Educadores Sociais – objetiva sensibilizar e capacitar continuadamente a população, que se disponibilizarem a se tornar  educadores e multiplicadores sociais, através de técnicas e linguagens apropriadas.

2º) Cidadania Ativa, informar para melhor participar – Promover momentos de sensibilização junto  a população de convívio diário, a exemplo dos Centros Educacionais, objetivando uma  reflexão crítica  sobre a importância do processo da doação, de modo que os mesmos se tornem propagadores  junto a outros núcleos sociais.

Nesta etapa, deverão ser utilizados recursos de panfletagem e divulgação contínua mediante a entrega de folhetos explicativos e o uso dos meios de comunicação existente no Município. Essa atividade deverá ser  realizada na primeira semana que antecederá o dia da captação propriamente dita;

3º) Etapa Doe Vida em Vida: onde serão inscritos os voluntários no REDOME, e a realização da coleta dos exames de Histocompatibilidade (HLA). A execução dessa fase é da competência do HEMOPE, cuja  equipe técnica, insumos e materiais necessários, estão sob sua responsabilidade.