Pró-Sangue: doação de plaquetas ajuda a salvar vidas

Você sabia que as plaquetas ajudam no controle de sangramentos e parte delas pode ser doada sem causar nenhum prejuízo à saúde do doador? Sempre que realizamos uma doação, o sangue coletado é separado em quatro hemocomponentes.

O que se obtém em menor quantidade são as plaquetas. Em média, cada doação de 450 ml de sangue rende duas doses de plaquetas, embora em muitos casos os pacientes precisam de pelo menos cinco doses por dia.

O princípio da doação não é muito diferente da de sangue. O processo que permite a separação e a coleta específica de plaquetas chama-se aférese.O procedimento de coleta de plaquetas por aférese consiste na retirada do sangue total do doador, separação dos componentes por meio de centrifugação, retenção de parte das plaquetas e retorno dos demais componentes do sangue para o doador. Todo o processo dura cerca de 90 minutos.

A doação de plaquetas beneficia muitos pacientes, especialmente aqueles em tratamento para leucemias e outros tipos de câncer, os submetidos a transplante de medula óssea, a cirurgias cardíacas, as vítimas de trauma, entre outros. Pode ser realizada a cada 72 horas, não ultrapassando 24 doações em 12 meses. A reposição das plaquetas pelo organismo é rápida e ocorre em torno de 48 horas.

Quem pode doar

Os mesmos requisitos exigidos para doação de sangue também são aplicados para a doação de plaquetas por aférese. Entretanto, é necessário que o doador seja avaliado previamente quanto às condições de acesso venoso necessárias para a realização do procedimento.

A correlação peso e altura do doador também deve ser avaliada. Somente mulheres nuligestas (que nunca engravidaram) podem doar plaquetas por aférese. Além disso, o doador não deve ter feito uso de aspirina, AAS ou anti-inflamatórios não hormonais nos três dias que precedem a doação.

 

Fonte: sp.gov