Pastoral da Saúde Lança Campanha Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos

Sem título144

É seguindo os passos de Jesus Cristo que a Pastoral da Saúde descobre o seu lugar e importância na sociedade. A vida é o dom mais precioso com que Deus agraciou o ser humano. Proteger a vida é uma missão sagrada de todos.

Num esforço de esclarecer e sensibilizar a sociedade em prol da doação de órgãos e tecidos para transplantes, a Pastoral da Saúde, com o apoio do FDS (Fundo Diocesano de Solidariedade), lança Campanha para discutir o tema com a comunidade e pela doação, gerar mais vida para todos.

Propomos que na Semana de 21 a 27 de setembro, se intensifiquem reflexões e iniciativas em favor da Vida: reflexões sobre a Palavra de Deus, celebrações especais, gestos de oferta simbólica da vida, cadastro de doação de medula óssea, doação de sangue, divulgação de informação sobre o assunto.

 

Informações importantes:

O Catecismo da Igreja Católica afirma: “a doação gratuita de órgãos após a morte é legítima e pode ser meritória” (n. 2301).

A encíclica Evangelium Vitae ensina: “merece particular apreço a doação de órgãos feita segundo normas eticamente aceitáveis para oferecer possibilidades de saúde e de vida a doentes, por vezes já sem esperança” (n. 86).

 “Encorajamos as pessoas e especialmente as famílias a que – livre, conscientemente e com a devida proteção legal – doem órgãos como gesto de amor solidário em consonância com o evangelho da vida. Certamente estamos diante de um gesto nobre e comovente: um sim à vida. ..Encorajamos a todos a colaborarem sempre mais com as doações de sangue e de medula óssea, tão necessárias. A doação de órgãos não contraria à fé cristã na ressurreição final, pois “Deus dá vida aos mortos e chama à existência o que antes não existia” (Rm 4,17). Todos aqueles que se dispõem a doar órgãos aos irmãos, tenham a certeza de que o amor e tudo o que se faz por amor permanecerão para sempre: “o amor jamais acabará” (1Cor 13,8).”

(CNBB – Nota sobre a doação de órgãos- 25/09/2008)

 

1. Como posso ser doador?

No Brasil, para ser doador de órgãos, basta avisar a Família. A família é que autoriza tal doação, pós-morte. Em vida podem ser realizados o cadastro de medula óssea e doação de sangue. Doação de órgãos: rim, parte do fígado ou parte do pulmão somente para familiares ou com autorização judicial.

 

2. Para quem vão os órgãos doados?

Para pacientes compatíveis que estão aguardando em lista única da central de transplante de cada Estado, num processo controlado pelo Sistema Nacional de transplantes e supervisionado pelo Ministério Público.

 

3. Como posso ter certeza do diagnóstico da morte encefálica?

O diagnóstico da morte encefálica é atestado por dois médicos de especialidades diferentes, após a realização de exames que comprovam que o encéfalo não funciona mais. A morte encefálica é irreversível.

 

4. Como fica o corpo após a doação de órgãos?

A retirada de órgãos segue normas da medicina moderna, todo doador pode ser velado normalmente, sem apresentar deformidades.

 

5. Você gostaria de participar dessa corrente do bem?

Converse sobre esse assunto, procure o Roteiro de reflexão bíblica na secretaria Paroquial para fazê-la em grupo. Participe do momento celebrativo da entrega da vida ao Senhor, na sua Paróquia ou comunidade. Organize grupo de doação de sangue e cadastro de medula óssea. Divulgue essa ideia.

 

Programação:

Dia 21 – Seminário na PUC -Apresentação da Campanha e cadastro para a doação de medula óssea;

Dia 23 – Missa na Igreja Nossa Senhora de Guadalupe – 12h com os tranplantados e familiares de doadores;

Dia 27 – DIA NACIONAL DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS

 

Fonte: http://http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?id=27930&op=saude

This template supports the sidebar's widgets. Add one or use Full Width layout.